Princípios




1. PRINCÍPIOS BÁSICOS DE TREINAMENTO

1.1 Princípio da Individualidade

Não existem indivíduos iguais, portanto não existirá uma fórmula que, como uma receita de bolo, dê um resultado exatamente igual para diferentes atletas. Você deve conhecer os seus pontos fortes e fracos, a ponto de poder entender o que é adequado ou não ao seu treinamento, respeitando essas diferenças individuais. Cada um tem uma necessidade maior ou menor de descanso pelo sono, cada um tem uma resposta diferente à sobrecarga física e cada um tem uma resposta psicológica diversa no decorrer do treinamento.

1.2 Princípio da Adaptação

Ao ser estimulado, através de uma sessão de treinamento, o corpo responde procurando se adaptar ao novo esforço e, os resultados serão tão positivos quanto adequados sejam o descanso e a alimentação. E aí vem a importância entre o equilíbrio entre o trabalho e a recuperação, pois de nada valerá empenho durante as sessões de treinamento se o período de descanso e recuperação não for adequado. Veja os gráficos abaixo:

ciclo de treinamento

progresso do treinamento

treinamento tipico

1.3 Princípio da Inter-relação entre Volume e Intensidade

Isto quer dizer, basicamente, que após um programa básico de volume, deve-se introduzir um programa de trabalho com intensidade, reduzindo-se, então, o volume; e assim sucessivamente. Esta alternância de trabalho com volume (quantidade) e intensidade (qualidade) vai levar ao progresso nos resultados.

2. PRINCIPAIS MÚSCULOS DO CORPO

Veja, na figura abaixo, os principais músculos do corpo humano:

musculos-nomes

3. QUALIDADES FÍSICAS

3.1 Coordenação

É a capacidade de combinar movimentos separados para constituir um conjunto.

3.2 Flexibilidade

É a ação de efetuar movimentos buscando a maior amplitude.

3.3 Força

É a capacidade de contrapor uma força externa, através da força muscular.

3.4 Velocidade (tempo de reação)

É a ação de efetuar em um tempo mínimo, um determinado movimento.

3.4.1 Velocidade de um movimento isolado

Sem resistência ao músculo. Exemplo: defesa de um goleiro

3.4.2 Velocidade de um movimento oposto a uma resistência

Exemplo: lançamento de martelo.

3.5 Resistência (anaeróbica)

Chamamos de resistência anaeróbica porque não utiliza o oxigênio no processo de obter energia. São trabalhos musculares executados normalmente até alguns poucos minutos, como as provas de 100m ou 200 m rasos no atletismo.

3.6 Endurance (resistência aeróbica)

Neste caso, o trabalho executado é feito em um tempo muito mais longo. Os trabalhos de longa distância como a maratona e os 1500m na natação são exemplos clássicos.